Sindicato na mídia

MEON: Prefeitura de S. José transfere feriado do dia do servidor para 31 de outubro

Postado em Sindicato na mídia

A Prefeitura de São José dos Campos transferiu o  feriado do Servidor Público, comemorado no dia 28 de outubro (sexta-feira), para 31 de outubro (segunda-feira).

A medida evita que o atendimento prestado por serviços públicos tenha interrupções intercaladas por conta da proximidade com o outro feriado, o de Finados, no dia 2 de novembro (quarta-feira). Com a transferência da data, o expediente nas repartições municipais em novembro terá início no dia 3 (quinta-feira).

De acordo com a prefeitura, o atendimento em serviços essenciais em setores como Saúde, Transportes e Segurança será mantido por  plantões.

Donizetti Souza, diretor do Sindicato dos Servidores Públicos de São José dos Campos, diz que a categoria foi pega de surpresa com essa mudança. "Tínhamos até a nossa festa de comemoração ao dia do servidor programada para o dia 28. A alteração vai ser positiva, mas o prefeito poderia ter tratado isso previamente com o sindicato. Nós nem sabíamos que ia tranferir", conta.

A alteração do feriado do Servidor Público também foi realizada no ano passado. Na oportunidade, o feriado foi transferido de quarta para sexta-feira.

FONTE: http://www.meon.com.br/noticias/regiao/prefeitura-de-s-jose-transfere-feriado-do-dia-do-servidor-para-31-de-outubro

O VALE 13/04/13: Carlinhos cria folha salarial paralela para secretário ‘vip’

Postado em Sindicato na mídia

Nova lei, aprovada com o apoio até da oposição, assegura remunerações diferenciadas para secretários e diretores cedidos por outros órgãos públicos à prefeitura; para especialista, medida é inconstitucional

Rodrigo Machado
São José dos Campos

O prefeito de São José dos Campos, Carlinhos Almeida (PT), instituiu uma ‘folha salarial paralela’ para garantir remunerações diferenciadas a secretários e diretores cedidos por outros órgãos públicos ao seu governo.
A medida, amparada por uma lei municipal editada pelo petista em janeiro, tem o objetivo de facilitar a liberação de profissionais que atuam como funcionários de carreira em outras esferas e possuem altos salários.
O sistema criado por Carlinhos permite que os servidores ‘emprestados’ continuem recebendo as antigas remunerações pelos órgãos de origem e a prefeitura faça o reembolso integral a essas instituições.
Um dos integrantes da ‘folha paralela’ é o secretário de Planejamento Urbano Emmanuel Antonio dos Santos, que continua recebendo o salário de R$ 16.005,91 de professor do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) --quase R$ 6.000 a mais que a remuneração dos demais secretários, hoje fixada em R$ 10.182,52 por mês.
Caso semelhante é o da diretora-presidente da Fundhas (Fundação Hélio Augusto de Souza), Evânia Sabará Teixeira, que manteve o salário de servidora de carreira do IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo), de R$ 10.561,18.
A prefeitura não informou ontem o total de assessores que se enquadram nessa situação (leia  abaixo).
Polêmica.
A lei que instituiu a folha paralela na prefeitura foi aprovada pela Câmara em sessão do dia 23 de janeiro, com o apoio até da bancada do PSDB, principal partido de oposição ao governo.
Ontem, vereadores consultados pela reportagem defenderam a remuneração diferenciada para os secretários e diretores cedidos.
“Acho a medida válida e prudente, por garantir um bom trabalho. Lembro que não houve nenhuma restrição para a votação. Quando a prefeitura tenta trazer algum servidor de outro lugar, você tem que dar uma garantia financeira a ele”, disse Fernando Petiti (PSDB).
“É uma maneira de puxar talentos para a administração”, emendou o vereador Walter Hayashi (PSB), aliado do governo Carlinhos.
A medida, porém, foi considerada ilegal por especialistas em administração pública consultados por O VALE.
“Convidar um funcionário da esfera federal para desenvolver um cargo municipal está plenamente de acordo com a lei já existente. Ele tem a opção de continuar recebendo o salário do local de origem, principalmente se este for maior do que o oferecido”, disse advogado Alberto Rollo.
“O que não pode acontecer é o funcionário receber os dois salários ou haver qualquer tipo de reembolso por parte do cessionário”, explicou.
Protestos.
A criação da folha salarial paralela também foi criticada pelo Sindicato dos Servidores Municipais.
“É um absurdo o governo cortar gastos em todos os lugares, recusar aumento aos servidores e fazer isso. É incoerente”, disse o diretor Donizetti Aparecido de Sousa, o Zetão.

Prefeitura não comenta o caso
A Secretaria de Governo de São José dos Campos foi procurada pelo O VALE na tarde de ontem para comentar a reportagem sobre a ‘manobra’ do Paço que garante a presença de parte do secretariado no governo petista.
A reportagem enviou um e-mail à equipe de assessores da pasta e solicitou informações sobre o número de secretários, secretários adjuntos e diretores que contribuem para o aumento da folha de pagamento.
A solicitação incluia além do número de comissionados, em que pasta atuam, o custo mensal da diferença do pagamento dos salários, quais impactos poderiam causar aos cofres públicos, entre outras informações.
Polêmica.
O aumento de 103,9% no salário do vice-prefeito, Itamar Coppio, gerou polêmica. De R$ 6.658 passou a ganhar R$ 13.576.
“O salário que estava estabelecido era igual de chefe de divisão. O próprio princípio da hierarquia estava deturpado. São às vezes medidas que geram desgaste, mas alguém tem precisa ter a coragem de tomar”, disse o prefeito Carlinhos Almeida, durante balanço dos 100 dias de governo.

Link da matéria:

O VALE 27/03: SESSÃO EXTRA

Postado em Sindicato na mídia

SESSÃO EXTRA

Funcionalismo
Filiado à CUT, o Sindicato dos Servidores de São José agendou para 4 de abril uma assembleia para definir a campanha salarial da categoria. O clima é de cobrança em relação à administração Carlinhos Almeida (PT).

Mudança
Em jornal distribuído aos servidores, o sindicato afirma que a categoria apostou em mudança na prefeitura e agora aguarda "respostas concretas". Na lista de reivindicações, aumento real de salário, revisão do e desconto do vale alimentação e reavaliação do plano de carreira.

Link da matéria:
http://www.ovale.com.br/nossa-regi-o/2.632/sess-o-extra-1.385480

O VALE 30/03: Carlinhos descarta aumento real para servidores em 2013

Postado em Sindicato na mídia

O VALE 30/03:

Carlinhos descarta aumento real para servidores em 2013

Queda de braço. Saída de servidores no Paço Municipal; sindicato estima defasagem de ao menos 15% nos salários da categoria desde 1997 e cobra do novo governo o compromisso de

Segundo prefeito, atual crise orçamentária torna medida 'inviável'; petista promete diálogo 'sincero' com trabalhadores

Chico Pereira
São José dos Campos

Às vésperas do lançamento da campanha salarial do funcionalismo municipal, o prefeito de São José dos Campos, Carlinhos Almeida (PT), descarta qualquer possibilidade de conceder aumento salarial este ano para os servidores.
Carlinhos disse a O VALE que este ano é "inviável aumento real para os funcionários municipais, em razão das dificuldades financeiras da prefeitura".

FACEBOOK DO SINDSERV SJC